Vacinação infantil: como está a “carteira de vacinas” do seu filho?

Foto: Reprodução

Segundo o Ministério da Saúde doenças como catapora, sarampo e poliomielite não devem ser menosprezadas. É que muitos pais estão deixando de vacinar seus filhos por causa de boatos e notícias falsas, propagados nas redes sociais, dando a entender que as vacinas teriam efeitos colaterais maiores que os benefícios que proporcionam. Esse tipo de informação começou a ser circulada em relação as vacinas contra gripe. Mas quais são as vacinas mais importantes até os 10 anos? Confira essas informações segundo os dados do Ministério da Saúde:

Recém nascido – BCG – ID (dose única), que previne formas graves
de tuberculose e a vacina contra hepatite B (primeira dose);
1 mês – Vacina contra hepatite B (segunda dose );
2 meses – Vacina tetravalente (DTP + Hib) (primeira dose), que previne contra difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras
infecções; VOP (vacina oral contra pólio) (primeira dose) que previne a Poliomielite; VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) (primeira dose) que previne a diarreia por rotavírus e a vacina
tetravalente (DTP + Hib) (segunda dose);
4 meses – VOP (vacina oral contra pólio) (segunda dose) e a VORH
(Vacina Oral de Rotavírus Humano) (segunda dose)
6 meses – Vacina tetravalente (DTP + Hib) (terceira dose);
VOP (vacina oral contra pólio) (terceira dose) e vacina contra
hepatite B (terceira dose);
9 meses – vacina contra febre amarela ( dose inicial));
1 ano – SRC (tríplice viral) (dose única) que previne sarampo, rubéola e caxumba;
1 ano e 3 meses – VOP (vacina oral contra pólio) (reforço ); DTP
(tríplice bacteriana) (primeiro reforço);
4 – 6 anos DTP (tríplice bacteriana) (segundo reforço) ; SRC
(tríplice viral) (reforço);
10 anos – vacina contra febre amarela (reforço).

Mantenha o cartão de vacina do seu filho em dias e fique atento as campanhas de vacinação, caso faça viagens com os pequenos pesquise se são necessárias outras vacinas ou reforços, ou se o lugar não está passando por alguma epidemia. Infelizmente ainda há ideia de que a melhor forma de proteção para a catapora, por exemplo, é contraindo pela primeira vez, já que a doença geralmente acontece apenas uma vez. Porém esse é um ato de negligência, que expõe a saúde das crianças. Hoje há multa e possibilidade da perda da guarda da criança, caso os pais se neguem a vacinar. Não deixe de consultar o calendário de vacinação para gestantes e para adolescentes que também devem fazer alguns reforços e se previnir de outras doenças. (Bahia Noticias)

Acompanhe o Blog Japi na Web pelo Facebook Aqui

Esta entrada foi publicada em Saúde. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *