Papa Francisco torna santa a ‘Irmã Dulce dos Pobres’

Freira foi canonizada em missa no Vaticano

https://s03.video.glbimg.com/x720/7999054.jpg

Em uma Praça São Pedro repleta de fiéis, o papa Francisco canonizou neste domingo (13) cinco beatos da Igreja Católica, incluindo a brasileira Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes (1914-1992), a Irmã Dulce, que passa a ser venerada como Santa Dulce dos Pobres.

https://s2.glbimg.com/FLfm2U92VPbSE0NY7wqnot3wExo=/0x0:1920x1080/984x0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2019/t/d/TjCDxqSQeBiRJBdzvSeg/frame-00-31-41.940.jpg

O Pontífice também canonizou o cardeal britânico John Henry Newman (1801-1890), fundador do Oratório de São Filipe Néri; a italiana Giuseppina Vannini (1859-1911), cofundadora da Congregação das Filhas de São Camilo; a indiana Maria Teresa Chiramel Mankidiyan (1876-1926), fundadora das Irmãs da Sagrada Família; e a suíça Margarita Bays (1815-1879), da Ordem Terceira de São Francisco de Assis.
Soteropolitana, Irmã Dulce é a primeira santa reconhecida pela Igreja Católica nascida no Brasil. O Vaticano atribui a ela dois milagres: o primeiro é a cura de uma mulher do interior do Sergipe que se recuperou de complicações de um parto após ter sido desenganada, e o segundo é o retorno da visão do músico e maestro José Maurício Bragança, que havia ficado cego em função de um glaucoma.
Bragança participou da missa no Vaticano e recebeu a bênção do Papa, que foi presenteado com uma relíquia de Irmã Dulce, um pedaço de sua costela colocado em um relicário sobre uma ametista em forma de coração.
A santa é conhecida popularmente como “o anjo bom da Bahia” e teve uma vida dedicada a ações de caridade. Ela é fundadora das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), entidade filantrópica que, desde 1959, oferece serviços de saúde, assistência social e educação para pessoas de baixa renda.
“Hoje agradecemos ao Senhor pelos novos santos, que caminharam na fé e a quem invocamos agora como intercessores. Três deles são freiras e nos mostram que a vida religiosa é um caminho de amor nas periferias existenciais do mundo”, disse o Papa em sua homilia.
A primeira missa em honra de Irmã Dulce será celebrada nesta segunda-feira (14), na Basílica de Sant’Andrea della Valle, em Roma. Já no próximo domingo (20), a Arena Fonte Nova, em Salvador, receberá uma grande celebração pela canonização da freira soteropolitana.
A missa no Vaticano teve a presença de uma ampla delegação brasileira liderada pelo vice-presidente Hamilton Mourão, que trocou breves cumprimentos com o Papa.
Santos brasileiros – Irmã Dulce é considerada pela Igreja Católica como a primeira santa nascida no Brasil, porém o país já teve outras pessoas do sexo feminino canonizadas.
Em 2017, Francisco tornou santos 30 mártires católicos mortos em um massacre cometido por holandeses no Rio Grande do Norte, em 1645. O grupo incluía cinco mulheres e meninas. Seus nomes, no entanto, não são conhecidos, e não há nenhum milagre atribuído a elas.
Já Frei Galvão é o primeiro santo do sexo masculino nascido no Brasil. Ele foi canonizado em maio de 2007, pelo papa Bento XVI.

carto_bem_estarAcompanhe o Japi na web pelo fecebookinstagram

Esta entrada foi publicada em Mundo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *