OAS presenteou políticos e ministros com garrafas de vinho de R$ 2,5 mil

Caixas de vinho que podem superar os R$ 2,5 mil a garrafa, kits e cestas de presentes, além de gravatas. A relação simbiótica de alguns dos políticos mais importantes da República com o clã da empreiteira OAS era cercada de pequenos agrados. O GLOBO teve acesso a uma planilha inédita da construtora que mostra como Cesar Mata Pires Filho, herdeiro do grupo empresarial, presenteava autoridades em São Paulo, como os ministros das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

Entre figuras de maior e menor expressão, do PT, PR, MDB, PSD e PSDB, surgem na lista os nomes de dois ministros do governo do presidente Michel Temer, de dois senadores e de um ex-suplente do Senado que foram agraciados por mimos da OAS. Não há na lista nenhum indício de crime ou de contrapartida dos políticos à empreiteira.

Durante uma das etapas da Operação Lava-Jato, a própria OAS, com o ex-presidente José Adelmário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro, já havia virado notícia por causa dos presentes – gravatas, kits de churrasco, cortes de terno… – que costumava a dar a políticos, como revelou O GLOBO há dois anos.

A nova lista é simbólica porque amplia a radiografia sobre as relações de influentes empresários com contratos na máquina pública e políticos encarregados de administrá-la. Negociando um acordo de delação, Léo Pinheiro terá chances de detalhar como funcionava a relação de políticos com a empreiteira, inclusive com a família Mata Pires.

A lista do Cesar Mata Pires Filho mostra que o herdeiro da OAS gostava de presentear políticos com caixas do vinho italiano Sassicaia que, dependendo da safra, pode chegar a custar mais de R$ 2,5 mil a garrafa. Foram agraciados com uma caixa do tinto da Toscana o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

O senador tucano e ex-chanceler José Serra também é citado na planilha como destinatário de uma caixa com seis garrafas do mesmo rótulo. Já na lista de 13 agraciados pela OAS com gravatas, aparece o pré-candidato do PSDB à presidência e ex-governador do Estado Geraldo Alckmin. A planilha não revela os valores ou a marca das gravatas.

O mesmo ocorre com os kits e cestas que, segundo a planilha, foram entregues pela OAS à senadora e ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (MDB) e ao ex-presidente do PT Rui Falcão. Até o ex-presidente da CBF Marco Polo Del Nero também teria sido presentado pela construtora com gravatas.

O condenado no mensalão e cacique do PR, Valdemar Costa Neto também aparece na relação, como destinatário de um kit de presentes. Seu correligionário e ex-ministro dos Transportes Antonio Carlos Rodrigues é destinatário de uma cesta de presentes, que inclui vinho. (POR O GLOBO)

Esta entrada foi publicada em Brasil. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *