Mídia internacional destaca suspeitas e pedidos pela renúncia de Moro

“Lula foi condenado erroneamente?”, questiona o Corriere della Sera, da Itália

Mídia internacional destaca suspeitas e pedidos pela renúncia de Moro

Os questionamentos sobre a imparcialidade do julgamento que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à prisão, a nova investida da defesa do petista para conseguir a sua libertação e os pedidos pela renúncia do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, são algumas das abordagens adotadas pela imprensa internacional para repercutir o vazamento de mensagens trocadas pelo então juiz federal e por integrantes do Ministério Público Federal, como o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba. O conteúdo foi publicado no último domingo, 9, pelo site The Intercept Brasil.

No Reino Unido, o Financial Times destacou como a defesa de Lula pediu que ele seja solto “imediatamente” após as conversas vazadas virem à tona e “remexerem a controvérsia” sobre o processo no qual ele foi preso depois de ser condenado em segunda instância, no caso do triplex do Guarujá (SP).

O diário berlinense Tagesspiegel, da Alemanha, fala na “roupa suja” do “homem da limpeza” Sérgio Moro ao escrever que, mesmo que as consequências do vazamento ainda não sejam integralmente conhecidas, “está claro que o Brasil vive um escândalo de Justiça que coloca o governo do presidente Jair Bolsonaro sob pressão”.

Para o New York Times, as mensagens que, segundo a reportagem do The Intercept Brasil, foram trocadas ao longo de anos entre o atual ministro e Dallagnol “colocam em dúvida a integridade de uma vasta investigação de corrupção”, referindo-se à Lava Jato.

O argentino Clarín é mais um veículo a ressaltar os trechos das mensagens vazadas que se referem ao julgamento de Lula. “(Dallangol) expressou dúvidas a Moro sobre a consistência das provas” contra o ex-presidente, aponta o diário, lembrando também a “indignação” com que o Partido dos Trabalhadores recebeu a reportagem.

“Lula foi condenado erroneamente? A mão dos juízes está por trás da vitória da extrema direita de Jair Bolsonaro?”, questiona o Corriere della Sera, da Itália, nas duas primeiras linhas da matéria que fez sobre o caso, comentando já no título que o furo de reportagem “reabilita” Lula.

O site da emissora Al Jazeera, do Qatar, destaca que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência, pediram o afastamento de Moro até que o caso seja devidamente elucidado.

Na França, Le Monde também inicia sua matéria com uma pergunta: “E se o maior escândalo de corrupção na história do país tivesse sido manipulado?”

Acompanhe o blog Japi na web pelo fecebookinstagram

Esta entrada foi publicada em Politica. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *