“Hoje as pessoas se insultam como se estivessem dizendo bom dia”, diz Papa Francisco

Durante a Quaresma, os católicos são incentivados a se absterem de coisas que possam atrapalhar o período de autoexame. Nesta quarta-feira de cinzas, no entanto, o Papa Francisco adicionou um elemento moderno à lista de atos dos quais os fiéis devem abrir mão pelos próximos 40 dias: “trolar” — ou insultar — as pessoas nas redes sociais.

O pontífice fez seu apelo para uma retórica virtual mais amena ao falar para dezenas de milhares de pessoas na Praça de São Pedro, no Vaticano, durante sua audiência semanal que marca a contagem regressiva para a Páscoa. A Quaresma, afirmou o Papa em um discurso parcialmente improvisado, é “época de abrir mão de palavras inúteis, fofocas, boatos, disse-me-disse, e de falar com Deus com intimidade”.

— Nós vivemos em uma atmosfera poluída por muita violência verbal, muitas ofensas e palavras duras, que são amplificadas pela internet — disse o papa. — Hoje, as pessoas se insultam como se estivessem dizendo “bom dia”.

Desde que foi escolhido por seus pares, Francisco tem sido alvo de insultos em sites católicos ultraconservadores e contas anti-Papa no Twitter por conta de sua posição progressista para os padrões da Igreja Católica. O Twitter, em particular, sedia com frequência disputas verbais entre seus apoiadores e críticos.

Após sua audiência, o Papa participou da tradicional cerimônia da quarta-feira de cinzas, na qual cinzas foram esfregadas em sua testa. O ritual serve para relembrar os cristãos da mortalidade e de que, um dia, também se tornarão pó.

Durante a Quaresma, época marcada por arrependimento, jejum e reflexão, os fiéis são incentivados a praticar boas ações e se aproximar daqueles que passam por dificuldades.

O Globo

carto_bem_estarAcompanhe o Japi na web pelo fecebookinstagram

Esta entrada foi publicada em Mundo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *