Fusão de Agricultura e Meio Ambiente divide ruralistas

“É um equívoco”, diz o deputado Arnaldo Jardim (PPS/SP), ex-secretário de Agricultura do estado de São Paulo

A fusão dos ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente não é consenso no setor do agronegócio. Há quem garanta que a união traz para a área agrícola problemas específicos da área ambiental que não devem ser discutidos pela mesma pasta.

“É um equívoco”. Essa é a avaliação do deputado Arnaldo Jardim (PPS/SP), ex-secretário de Agricultura do estado de São Paulo e há anos engajado no setor do agronegócio, segundo a Folha de S. Paulo.

“Trazer o Ministério do Meio Ambiente para o âmbito da agricultura é deixar de ter o foco onde ele precisa estar: nos centros urbanos. A agricultura tem suas regras ambientais e um dos exemplos é que, cada vez mais, gera energia limpa para o país, afirma.

Para o presidente da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso), Antonio Galvan, a união trará benefícios. “A questão ambiental virou ideologia interna, que tenta atrapalhar nosso trabalho”.

“É preciso retirar a ideologia dessas discussões”, diz. “A tentativa de união dos ministérios é válida. Deve-se criar uma secretaria dentro Ministério da Agricultura, mas que ela tenha agilidade”.

O ministro que assumir as pasta unificadas terá o desafio de não perder o foco de ambos os assuntos, que são bastante divergentes, assim como os problemas a serem enfrentados.

Esta entrada foi publicada em Politica. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *