Estádio receberá shows de Wesley Safadão no próximo sábado, dia em que Flamengo e Botafogo duelarão por vaga na final do primeiro turno do Carioca

A ausência do Maracanã na semifinal da Taça Guanabara entre Flamengo e Botafogo foi lamentada por André Rizek e seus convidados no Redação Sportv desta terça-feira. Marcos Uchôa, repórter da TV Globo, brincou com matéria de “O Globo” que apresentava um estádio “careca” e que receberá Wesley Safadão no próximo sábado, dia no qual os rivais medirão força.

– Safado é um bom adjetivo para o estado do nosso futebol (risos). Usaram o artista perfeito para o caso. É triste. Acaba sendo um ciclo vicioso. O futebol vai mal, e aí obviamente não tem o público para pagar as despesas do estadio – disse Uchôa, emendando com uma mea-culpa:

– Precisa correr para o show, que aí diminui o interesse do público… Como você sai disso? Realmente fica difícil você dizer se alguém está errado como gestor do estádio se o futebol não gera uma receita suficiente, mas é lamentável que depois de uma Copa e uma Olimpíada a gente ainda veja o descaso e o desuso das nossas instalações mais emblemáticas.

O outro ocupante da mesa, Tim Vickery corroborou a opinião de Uchôa, mas afirmou enxergar pessoas interessadas no declínio do futebol brasileiro.

– Acho a pergunta de Uchôa excelente: como sair disso? Especialmente quando se entra nesse ciclo vicioso, você começa ver pessoas que têm interesse na falência do futebol brasileiro, porque virou uma indústria de exportação. Quando fica tão ruim como está, aí vem a necessidade de vender. É a oportunidade de enriquecer licitamente ou ilicitamente – emendou o inglês. (SporTV).

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *