Camarote da maior festa junina do RN desaba em show de Xand Avião

Várias pessoas ficaram presas nas grandes e cerca de 30 ficaram feridas

Parte de um dos camarotes do Mossoró Cidade Junina, a maior festa de São João do Rio Grande do Norte, desabou na madrugada desta sexta-feira (8), na primeira noite de festa. No momento do acidente, Xand Avião se apresentava na Estação das Artes. Segundo o Corpo de Bombeiros, cerca de 30 pessoas ficaram feridas, todas sem gravidade.

Após o desabamento, várias pessoas ficaram presas nas grades e foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e pela Polícia Militar. Como apurou o G1, algumas pessoas foram imobilizadas e encaminhadas para hospitais da cidade.

Assim que soube do desabamento, Xand, que foi a principal atração da noite, parou o show e aguardou a situação ser controlada para retornar.

De acordo com os bombeiros, o camarote havia sido vistoriado e liberado para receber até 980 pessoas. A principal suspeita é que tenha ocorrido sobrecarga na estrutura. As investigações começam na manhã desta sexta-feira (8).

Em nota, a Prefeitura de Mossoró lamentou o ocorrido e informou que acionou órgãos de fiscalização, que devem apurar o que causou o desabamento da estrutura. O documento também explica que a prefeitura não é responsável pelos camarotes privados, mas vai exigir esclarecimentos e providências da empresa.

O Mossoró Cidade Junina começou no último sábado (2) e deve seguir até o dia 30 de junho.

O vocalista Xandy chegou a alertar para o problema, pediu socorro. Ele e a banda suspenderam a apresentação, mas depois foram orientados à retomada do espetáculo, mesmo em meio ao alvoroço.

Nas redes sociais há enxurrada de fotos e compartilhamento de vídeos. Paralelamente, não faltam críticas e queixas relativas à desorganização e falta de planejamento do MCJ 2018, apesar de todo tempo disponível para seu andamento normal.

Bombeiros ajudaram nos resgates e primeiros atendimentos às vítimas do desabamento (Foto: Web)

VEJA o momento do desabamento no vídeo abaixo:

Esta entrada foi publicada em Administração pública. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *