Egito: governo decreta três dias de luto após ataque que matou 235 pessoas

Subiu para pelo menos 235 pessoas o número de mortos nesta sexta-feira (24) em uma mesquita no norte do Sinai egípcio, alvo de um ataque de homens armados no momento da grande oração semanal. O governo convocou uma reunião de emergência para avaliar a situação. O ataque aconteceu na mesquita Al-Rawda, no vilarejo de Bir al-Abed, a 40 quilômetros a oeste de Al-Arish, a capital da província do Sinai do Norte, região onde as forças de segurança combatem a facção egípcia do grupo Estado Islâmico (EI). O governo decretou três dias de luto nacional. O presidente Abdel Fattah al-Sissi convocou uma reunião de emergência com seus ministros responsáveis pela segurança. Em um discurso na televisão, ele prometeu vingar o ataque. Na madrugada deste sábado, a Força Aérea egípcia “destruiu vários veículos utilizados no atentado e bombardeou diversos “pontos terroristas de armas e munições”, anunciou o porta-voz Tamer El Refaï.

Passagem entre Egito e Gaza permanecem fechadas: Testemunhas indicaram que os agressores cercaram a mesquita a bordo de veículos 4×4 e colocaram uma bomba na parte externa do prédio. Depois da explosão, os homens armados invadiram o local, atirando contra os fiéis em pânico que tentavam fugir e atearam fogo aos veículos, bloqueando o acesso à mesquita. A fronteira entre o Egito e a Faixa de Gaza, que seria seria reaberta neste sábado pela primeira vez desde agosto, permanecerá fechada. (RFI)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *