Defesa do goleiro Bruno espera que ele seja libertado até julho

Jogador se entregou à polícia para voltar à cadeia há um ano.

O goleiro Bruno Fernandes se entregou espontaneamente à polícia de Varginha (MG) há exatamente um ano, em 27 de abril de 2017. O jogador chegou a atuar no Boa Esporte durante um curto período, mas teve liberdade revogada e voltou à cadeia.

Agora, o advogado de Bruno trabalha para que ele seja libertado em julho para retomar carreira no futebol. Preso desde 2010, Bruno foi condenado a 20 anos e 9 meses de prisão pela morte de Eliza Samudio. Segundo a defesa, o jogador poderia ser liberado no meio do ano caso sejam contabilizados os dias de trabalho cumpridos por ele no Núcleo de Capacitação para a Paz (Nucap), Varginha, onde está detido.

“Eu acredito que em julho ele já possa estar no semiaberto, e daí realizar o desejo dele que é retornar ao futebol”, afirmou o advogado Fábio Gama, em entrevista ao G1.

A defesa do jogador diz que Bruno pretende continuar morando em Varginha se obtiver a progressão de pena. “Continua [na cidade]. A família já está estabelecida. Tem esposa, tem uma filha de poucos meses. E o contrato com o Boa Esporte está suspenso, mas mantido. Assim que sair, o Boa Esporte o receberá de portas abertas para retornar ao futebol. E a tendência, obviamente, por estar cumprindo pena, é que ele permaneça aqui em Varginha”, completa.

Procurado, o Boa Esporte não confirmou se Bruno continuará a jogar pelo time.

Esta entrada foi publicada em Justiça. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *