Datafolha: Apoio de Lula pode aumentar chances de candidato

Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo indica que 30% dos eleitores votariam “com certeza” em candidato indicado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Outros 17% afirmaram que “talvez” votariam em candidato de Lula. No entanto, 51% dos entrevistados afirmaram que não votariam em qualquer candidato indicado pelo ex-presidente preso desde abril, após ser condenado em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá.

O petista aparece na liderança com 30% das intenções de voto e vence todas as simulações de segundo turno nas enquetes em que aparece o nome dele. No cenário sem o ex-presidente, o pré-candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, lidera com 19%, seguido de Marina Silva, da Rede, (15%) e Ciro Gomes, do PDT,(11%).

O apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, segundo a pesquisa, faria com que 65% dos eleitores rejeitasse um candidato. A indicação do tucano só não é mais rejeitada que a do presidente Michel Temer. O apoio do emedebista levaria 92% dos entrevistados a não votar no indicado.

O levantamento mostra também que os eleitores de Lula não seguem uma mesma direção quando o ex-presidente não aparece como candidato. De acordo com o Datafolha, 45% dos eleitores de Lula dizem que votariam em branco, nulo ou não escolheriam ninguém, em caso de o ex-presidente ser substituído pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Marina heradaria 17% dos votos do petista, e Ciro ganharia 13%.

Quase um terço dos eleitores (32%) disseram que Lula deveria apoiar Ciro Gomes se não puder participar da eleição. Outros 15% avaliam que o ex-presidente devia apoiar Haddad, 5%, Jaques Wagner, e 25%, nenhum candidato.

Ao ser condenado em segunda instância, Lula se tornou inelegível segundo a Lei da Ficha Limpa. O PT, porém, já se mostrou disposto a levar a candidatura até o fim. O partido aguarda o julgamento de recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a condenação a 12 anos e um mês de prisão. O Tribunal Superior Eleitoral também deverá se pronunciar sobre a validade da candidatura de Lula, após ela ser registrada. (O Globo)

Esta entrada foi publicada em Política. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *